O Gigante Google Alerta, Não Baixe o Chrome para Mac!

cromo-20090606101707

SÃO PAULO – O Google liberou versões para Linux e Mac OS do seu navegador de código abero Chrome. 

Apesar de estarem disponíveis para qualquer usuário baixar, as versões para Linux e Mac ainda são muito instáveis e cada uma contém cerca de 400 bugs, disse o grupo de desenvolvimento do browser. Em post no fórum Chromium,  a  gerente Karen Grunberg pede que nenhum usuário final baixe as versões, sob o risco de desapontar-se com a qualidade ainda precária do código.

Segundo Karen, as versões Linux e Mac foram ao ar apenas para facilitar sua circulação entre desenvolvedores e fomentar comentários e sugestões dentro da comunidade.

No Mac, por exemplo, o Chrome não consegue abrir vídeos do YouTube ou mostrar animações em Flash dentro de sites em HTML.

Embora o Google não defina uma data para liberar seu navegador para a plataforma Mac OS, a expectativa da companhia é liberar o primeiro beta ainda este mês, após superar algumas dificuldades como permitir gravar bookmarks ou rodar conteúdo em Flash.

No fórum Cromium, os desenvolvedores que testaram o Chrome em máquinas Apple explicam que o browser reproduz a boa velocidade no carregamento de páginas que registra no Windows, mas ainda apresenta instabilidades.

 Estrear uma versão para Mac faz parte da estratégica do Google para tentar popularizar seu navegador, que de acordo com a Net Applications anotou 1,8% de participação no mercado de browsers em maio deste ano.

Esse post foi publicado em Info e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s