Internet Explorer 9 promete caça à raposa

Tanto a Microsoft como a Mozilla vão usar o processador gráfico para acelerar o navegador. Resta saber se quem vai levar a melhor é o caçador ou a raposa.

A Microsoft publicou alguns vídeos sobre o Internet Explorer 9 em seu site Channel 9. Num deles, Dean Hachamovitch, gerente-geral para o Internet Explorer, e sua equipe demonstram o recurso de aceleração por hardware que deverá estar na próxima versão do navegador. Na tela, textos são redimensionados com perfeição de forma quase instantânea. Numa das demonstrações, os mapas do site Bing Maps rolam na tela continuamente como o cenário de um jogo 3D. Nem tudo que é visto numa demonstração se concretiza na vida real. Mesmo assim, o vídeo mostra que poderá haver algum avanço na experiência do internauta.

Cabe perguntar: se os jogos usam aceleração por hardware há tantos anos, por que isso demorou tanto para chegar ao navegador. A turma de Redmond diz que esses recursos não foram implementados antes porque havia barreiras técnicas no caminho. Uma delas é que muitas páginas da web incluem conteúdo cuja apresentação não é controlada pelo browser. Um exemplo são as animações e filmes em Flash. Nesse caso, quem cuida da apresentação é o programa da Adobe. Agora, o grupo teria descoberto como contornar essas barreiras.

O fato é que as APIs (interfaces de programação) que permitem transferir o processamento 2D à placa gráfica são relativamente recentes. A Microsoft tem duas: Direct2D, para gráficos, e DirectWrite, para textos. Ambas estão presentes no Windows 7 e rodam também no Vista (mas não no XP). Além da aceleração por hardware, os planos da Microsoft para o IE9 incluem adesão mais ampla ao padrão HTML5. Também incluem um novo mecanismo de processamento de JavaScript, algo que parece ser uma resposta ao Chrome, geralmente visto como o rei do JavaScript.

Naturalmente, a turma da raposa não está dormindo. Bas Schouten, programador chefe da Mozilla, publicou um artigo em seu blog sobre a aceleração por hardware no Firefox. “Já temos condições de apresentar um Firefox em que a apresentação de páginas será totalmente feita via Direct2D. Ele fará uso intensivo da GPU. Até a interface com os usuários e os menus serão produzidos por ela”, diz Schouten. Ele também fornece algumas comparações de desempenho na apresentação de páginas em nove sites da web, com e sem aceleração por hardware. No Twitter, por exemplo, o tempo para exibir a página caiu para menos da metade com essa tecnologia. Já na Wikipedia não houve ganho significativo.

Outra pergunta óbvia é quando teremos esses novos navegadores. Mas isso ninguém diz com certeza. No caso da Microsoft, a expectativa do mercado é que o Internet Explorer 8 fique pronto em 2011. Christopher Blizzard, evangelista da Mozilla, escreveu no Twitter que ele aposta que o Firefox vai sair antes. Suponho que o Google também esteja desenvolvendo uma versão do Chrome com aceleração por hardware. Mas a turma de Mountain View costuma manter segredo sobre seus planos. E, ao que parece, não vai ser diferente nesta vez.

Fonte: Info

Esse post foi publicado em Info e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s